quarta-feira, 22 de junho de 2011

Desculpas de mau pagador

O que me irrita na saída do Rui Tavares do BE (sai de independente para “independente”) é a falta de honestidade e a desproporção do acto em si face à suposta causa.
Que ele queria sair já antes das eleições já muita gente sabia – ele lá terá as suas razões, por isso que não venha agora qual virgem ofendida dizer que foi por um “menino” o ter ofendido no fb e não ter pedido desculpa que resolveu sair. Essa foi uma desculpa para abandonar o BE com o máximo de estrondo possível. E ele sabia que iria causar estrondo usando os media (ultimamente bastante hostis ao BE) e as suas crónicas no jornal Público que tem utilizado cirurgicamente para atacar certos dirigentes do Bloco. E ele também sabe que quanto mais estrondo fizer mais longe será ouvido (é a propagação do som...) garantindo um fórum que prolongará a sua vida política e mediática.
Não vou discutir as razões que levaram o RT a afastar-se do BE. Certamente que podem ser muito válidas na sua perspectiva e muito “inválidas” na perspectiva de outros. O que questiono é o oportunismo, o querer causar estragos deliberadamente de uma forma mesquinha e vingativa usando uma questão menor.

O BE vai desde já abrir espaços de discussão com aderentes e não-aderentes culminando num fórum a 10 e 11 de Setembro para discutir novos caminhos. Está tudo em aberto. Que espaço melhor para colocar tudo em questão - até lideranças, porque não? Bom, para o RT esse espaço são os jornais...

Agora outra questão: qual vai ser o espaço político que o RT vai ocupar a partir de agora num novo grupo parlamentar Europeu que não lhe dá tanta liberdade como aquele em que estava até agora? Qual vai ser o seu projecto político (ou é apenas um projecto de promoção pessoal)? E a acção política no PE é possível de ser feita por um indivíduo completamente isolado? E nas eleições europeias concorrem partidos, com projectos e que podem ter, ou não, independentes nas suas listas. Não concorrem indivíduos que “por acaso” estão numa “qualquer” lista de um partido...

É engraçado ver como algumas pessoas são tão sensíveis, coerentes e cheias de princípios éticos nuns assuntos e tão insensíveis, incoerentes e sem princípios éticos noutros assuntos. Por tudo isto o melhor e o mais coerente seria o RT simplesmente vir embora e dar o lugar a outro (não sei em que moldes é que isso se processaria: se passava para o seguinte da lista, se Portugal ficava com um Eurodeputado a menos...)

Só mais uma coisa: devia o Francisco Louçã ter pedido desculpa? Eu não achei o post dele no fb assim tão ofensivo para o RT que justificasse esta atitude. Mas percebo perfeitamente que o RT se tenha sentido ofendido (é perfeitamente compreensível e legitimo). Se calhar o FL devia ter telefonado ao RT e ter esclarecido a coisa. Mas o RT podia ter telefonado ao FL e esclarecido a mesma coisa. Ou se calhar nenhum dos dois queria esclarecer nada. Em discussões nunca se sabe bem quem as começa mas normalmente acabam mal. Mas dado os sinais que o RT vinha a dar acerca da sua vontade de abandonar o BE provavelmente o FL sentiu que não valia a pena e mais valia fazer o jeito ao RT e dar-lhe essa desculpa... Não sei.

Agora está na hora de partir para outra, colocar os egos de lado,  e começar a discussão séria e construtiva para a construção de uma esquerda que possa mudar este país (e a Europa).

Sem comentários: