quinta-feira, 11 de junho de 2009

Dias de glória

Isto foi tirado do JN Online... e merece alguns comentários:

Dias Loureiro homenageado em Aguiar da Beira:
A autarquia, liderada por Fernando Andrade (PSD), seu amigo e compadre, decidiu aproveitar o Dia de Camões, de Portugal e das Comunidades Portuguesas para homenagear todos os autarcas eleitos desde 1974.
Dias Loureiro, antigo administrador da Sociedade Lusa de Negócios, que detinha o Banco Português de Negócios (BPN), é quarta-feira homenageado em Aguiar da Beira, onde nasceu há 57 anos e onde mantém amigos e ligações familiares e políticas.
A autarquia, liderada por Fernando Andrade (PSD), seu amigo e compadre, decidiu aproveitar o Dia de Camões, de Portugal e das Comunidades Portuguesas para homenagear todos os autarcas eleitos desde 1974.
Acho que já li isto...
Entre eles destaca-se Manuel Joaquim Dias Loureiro, que foi presidente da Assembleia Municipal entre 1997 e 2005 e que no passado dia 27 de Maio abandonou o Conselho de Estado na sequência do inquérito ao caso BPN.
Mau Maria... parece que andamos às voltas...
Fernando Andrade realça que Dias Loureiro "foi e é" uma pessoa muito presente em Aguiar da Beira, onde existe uma das primeiras sucursais do BPN, por baixo da casa onde vive a sua mãe.
Espera ai!!! Debaixo da casa da mãe? Foi comprado, alugado, cedido... ou é só uma coincidência?
"Tem uma vida muito ocupada mas nunca esqueceu a sua terra e as suas gentes. Procura vir com assiduidade e conviver com as pessoas daqui", afirmou à Agência Lusa, contando que esse convívio muitas vezes se estende durante a noite, "para jogar às cartas e ao xincalhão" com os amigos.
Este Loureiro é danado para o jogo...
Na sua opinião, pode "aprender-se muita coisa" com Dias Loureiro, "um homem muito humano, muito sensível aos problemas sociais", dedicando-se, por exemplo, a apoiar crianças abandonadas.
Vou chorar... Se calhar também apoia cachorrinhos de pelo ralo e com cauda cortada...
"É um humanista por excelência, daí a razão porque todos nós o admiramos e temos por ele um grande apreço, porque dele vêm bons exemplos e há-de ser, com certeza, um exemplo a seguir nesta terra e neste país", considerou.
É! É um exemplo. Eu próprio sempre soube isso logo desde o dia em que este senhor honrado mandou a polícia bater em mim e nos meus amigos estudantes à porta do ME!
Por tudo isto, Fernando Andrade está convencido de que, em Aguiar da Beira, "a maioria absoluta das pessoas continua a ter por ele a mesma admiração e não acredita sequer, daquilo que o acusam, que ele tenha alguma culpabilidade".
Inocente até prova em contrário, ou, nalguns casos, mesmo se se provar o contrário.
A mesma convicção tem José Ferreira, comandante dos Bombeiros Voluntários, que apontou Dias Loureiro como "uma referência" para os "soldados da paz" portugueses.
Lembrou que, durante a época em que Dias Loureiro foi presidente da Assembleia Municipal, "os seus honorários todos os meses eram canalizados para os bombeiros de Aguiar da Beira", bem como os resultantes de "entrevistas que dava às diversas televisões".
Façam-no bombeiro honorário...
"Sempre canalizou para esta casa o que podia e o melhor que conseguia arranjar (ou canalizador...), a pensar nos bombeiros e na vila. Quase 50 por cento das viaturas que estão aqui terão um bocadinho da vontade dele", frisou.
Quem conhece Dias Loureiro desde os tempos em que brincava no largo dos monumentos e ajudava os pais ao balcão da mercearia, também recorda a "jóia de criança" que era e a "pessoa excepcional" em que se tornou.
Acrescento: uma pessoa de excepção.
É o caso de Aníbal Ferreira, 76 anos, que se congratula por Dias Loureiro continuar a visitar frequentemente a casa da mãe, de quem é vizinho.
Já fazia falta um Aníbal que comentasse qualquer coisinha...
"Vem muita vez. Este quintal aqui de frente é deles e todas as vezes que ele cá vem eu vejo-o ali. Fico satisfeito quando vejo. Anda mais a mãe, a D. Maria da Luz. É gente impecável", frisou, acrescentando não acreditar "em nada do que dizem dele".
Apesar de ter dinheiro, ainda que "poucochinho", na sucursal do BPN situada a quatro passos de sua casa, não correu a levantá-lo, porque diz "confiar plenamente" em Dias Loureiro.
Outros populares ouvidos pela Lusa confirmam que a polémica em torno do BPN não abalou a confiança no ex-conselheiro de Estado.
Outros populares...
"Continua a ser uma pessoa muito querida da terra", garantiu Rosa Duarte.
"É um grande homem, fez muito pelo concelho. Vem aqui constantemente e auxilia naquilo que pode", acrescentou Vasco Franco, antigo colega de colégio.
Quem pediu isto?...
As eleições foram há três dias e já andam a lavar estátuas?

Quem precisa de humoristas num país assim?...
Só mais um aparte: uma pessoa que assina contratos de milhões "sem saber muito bem o que era" pode não ser corrupto ou criminoso mas então será certamente... incompetente. E que eu saiba não se devem homenagear ou glorificar incompetentes... Já criminosos é outra história.

terça-feira, 9 de junho de 2009

Diário de um radical livre

Querido diário:

Hoje estou triste. Quer dizer... ontem também já estava.

É que houve umas eleições para uma coisa chamada Parlamento Europeu (eu gosto muito desta coisa de estarmos todos juntos na Europa e tentar construir algo juntos..., e gosto que as pessoas circulem e que se possa comprar coisas em todo o lado e trazê-las para casa sem que um senhor da fronteira nos chateie...) e o partido em quem eu votei ganhou o triplo dos deputados que tinha!

Mas estou triste porque agora uns senhores – que perderam – dizem que eu sou da esquerda radical. Eu nisso da esquerda até concordo... agora a parte do radical não percebo... Sempre pensei que os radicais punham bombas nas coisas, tentavam matar os outros senhores e nem sequer gostavam da Europa... Ou então são aqueles meninos e meninas (e alguns senhores tolos de meia idade) que gostam de saltar das pontes com elásticos grossos.

Ora, eu não tenho bombas debaixo do sofá (aliás... nem na garagem), não quero matar ninguém, sou a favor de uma Europa unida e solidária (esta palavra fui procurar no dicionário...), tenho duas filhinhas que levo à escola todos os dias, tomo o pequeno almoço (às vezes até bebo batido de morango), não gosto de apanhar sustos, tomo banho e vou ao ginásio (mas não é para ficar forte e bater em ninguém), leio livros e vejo filmes na televisão (gosto muito do Boston Legal e dos Homens do Presidente), já fui duas vezes aos Estados Unidos e espero lá ir muitas mais porque gosto muito deles, e tanto quanto sei (tento ler os papéis que me dão) os senhores e a senhora que elegi também não são maus nem radicais (pelo menos dois deles até são professores de história!!!). Por isso não percebo... é claro que eu sozinho não elegi essas pessoas, foram precisas mais cerca de 381000 iguais a mim. Será que eles é que são radicais e me enganaram? Se for o caso é melhor chamar a polícia... Se bem que eu acho que não há polícias que cheguem...

É pena que esses senhores me chamem radical de esquerda porque eu até nem desgosto deles – pelo menos comparando com uns que andam para aí vestidos de laranja ou azul e amarelo e que passam a vida a insultar toda a gente e a dizer que não sabemos trabalhar e dizem que estamos de tanga mesmo que tenhamos vestido umas calças às bolinhas... Não sei se estás a ver quem são, querido diário, são os amigos do nosso Presidente – que é muito limpinho e não gosta de falar sobre nada – e do senhor que foi para Bruxelas e perdeu o til do nome e que era muito amigo do senhor que tentou montar uma loja de fotocópias nuns submarinos...

Bem, por agora já chega. Vou fazer pipocas e ver um filme com a Julia Roberts no sofá! Quer dizer, eu vou estar no sofá e ela vai estar no filme... Radical, não?